Pequena Fragmenta

  • Tao

    Manel Ollé, Neus Caamaño Tao

    Fragmentos do antigo caminho chinês do mestre Laozi

    Como iniciar as crianças na filosofia do taoismo?
    Através de fragmentos selecionados do Livro do Tao que falam sobre rios, casas, copos ou árvores, descobrirão que o sábio não é sempre o mais forte e poderoso, mas antes um barqueiro que sabe aproveitar as correntes do rio, alguém leve e flexível como um bambu, que faz sem fazer e ensina sem querer, que avança sem seguir caminhos nem pegadas e nunca se perde.

  • A escola da Haru

    Flavia Company, Luciano Lozano A escola da Haru

    A Haru dá o sinal. Começa a dança de movimentos para alcançar a posição adequada. As pernas, os ombros, o olhar, as mãos, o arco. Relaxamento, concentração, observação. Todos respiram ao mesmo tempo, com a pausa necessária para manter a calma. Nada os distrai. Nem o voo das aves nem a leve agitação das árvores mais próximas. Simultaneamente, como se fossem uma só, as quatro setas saem a voar até ao seu destino, como em breve farão os alunos ao saírem do dojo.

  • Jatakas

    Marta Millà, Rebeca Luciani Jatakas

    Seis contos budistas

    Há muitos, muitos anos, nasceram no sudeste asiático uns animais singulares que tinham poderes mágicos. Conta-se que por onde passavam transformavam as sombras em luz porque contagiavam todos os seres vivos com a alegria e a bondade dos seus corações.

    As jatakas narram as histórias destes animais exemplares. Fazem parte da coleção de obras que preservam os princípios do budismo mais primitivo. Não pretendem dar lições, apenas inspirar uma conduta consciente e ética.

  • O sexto sentido

    Laia de Ahumada, Mercè López O sexto sentido

    Para além dos cinco sentidos, devo ter outro que não se vê nem se sente, não tem cheiro nem sabor e que também não se pode tocar:
    o sexto sentido!

    É aquele que me faz ver o que não se vê à primeira vista. É aquele que me ajuda a sentir com todo o corpo o que tem lugar dentro de mim.

  • O dia de Ir e Vir

    Alain Allard, Mariona Cabassa O dia de Ir e Vir

    Era o dia de Ir e Vir. Toda a gente ia ou vinha de algum lugar. Durante milhares de anos os seres humanos tinham sido nómadas. Agora, porém, viviam em casas e quase não se deslocavam ao longo do ano. Mas, no fundo dos seus corações, bem lá dentro, sabiam que a mudança está sempre presente,
    e que o que parece quieto só o está por um instante...

  • Ioga

    Míriam Raventós, Maria Girón Ioga

    Consegues fazer muitas coisas ao mesmo tempo?
    Assim começa uma fantástica viagem às origens do ioga, às motivações que levaram aqueles homens da Índia a tentarem fazer apenas uma coisa, a mais simples, a mais natural, uma única coisa e mais nada.

  • Silencia

    Nina da Lua, Gemma Capdevila Silencia

    O tempo parou
    quando a ouvimos chegar.
    Era a Silencia,
    a canção do silêncio.
    Vinha de muito, muito longe...
    Querem mesmo saber para onde vão as estrelas quando nasce o dia?

  • Bocababa

    Tina Vallès, Gabriel Salvadó Bocababa

    O Bocababa é um menino sem sorte. Tem um olho distraído e o outro surpreendido e passa o dia a tropeçar e a colecionar galos porque não olha para onde tem de olhar. Tem sempre a boca aberta de par em par e a gola da camisola empapada pelo fio de saliva que lhe vai caindo.

  • Livro do gentio e dos três sábios

    Ramon Llull Livro do gentio e dos três sábios

    Era uma vez um gentio, quer dizer, um homem que não praticava nenhuma religião. Era muito sábio mas não tinha nenhum conhecimento de Deus nem acreditava que houvesse alguma coisa depois da morte. Procurando remédio para a sua tristeza, dirigiu-se a um bosque cheio de fontes e de belas árvores de fruto.

  • Onde está a lua?

    Jordi Amenós, Albert Arrayás Onde está a lua?

    Numa noite, o Paulo observou que a lua brilhava grande e redonda no céu. No dia seguinte, reparou que era um pouco mais pequena, e mais pequena ainda com o passar dos dias... até que desapareceu completamente. Que mistério!

A coleção Pequena Fragmenta dirige-se ao público infantil com o mesmo rigor e cuidado das outras coleções da editora. Sabemos que um bom livro infantil é também um bom livro para os adultos porque é capaz de emocionar, transformar, interpelar.

Os álbuns ilustrados da Fragmenta — livros onde o texto e a imagem estão intimamente relacionados — querem colaborar com os pais e os educadores no cultivo da sabedoria, da interioridade e da qualidade humana nos mais pequenos. Por isso contêm, no final, um guia de leitura que coloca perguntas e ajuda a pensar, a debater, a relacionar as histórias com a própria vida de cada criança.

Uma seleção rigorosa dos textos (contemporâneos ou das diferentes tradições da Humanidade), uma linguagem rica, umas ilustrações com alma, um papel rugoso e uma capa atrativa fazem de cada livro um objeto especial, único, fonte de experiências e de sabedoria.